Ilhas gregas – o must do verão

O tempo em Paris começa a melhorar e já estamos pensando no verão 2010.

A partir de Paris, no verão, vale a pena dar uma esticada até as ilhas gregas para se passar alguns dias. Você conhecera outro país europeu aproveitara o calor e conciliara cultura com praias.

Escolhemos fazer nossa viagem para uma das principais destinações balnearias dos Europeus: As Ilhas Gregas!

Deixamos Paris,

pegamos um avião,

e iniciamos nossa viagem pela ilha de Creta.

Localizada no sul da Grécia, Creta é a maior e mais meridional das ilhas gregas, com águas azuis cristalinas, praias de areia branca e um sol intenso.  Ela é repleta de vilarejos aconchegantes, como Chania e Rethymo e de ruínas, como Knossos e Phaestos, repletos de historias e mistérios.

Chania

Rethymo


Knossos

Phaestos

Com receio de nos deparar com um número grande de turista, alugamos um carro e  reservamos um apart hotel mais rustíco e afastado da cidade principal  de Heraklion e ficamos  na praia de Agia Pelagia. Chegando la, tivemos uma recepção  acolhedora, com direito a um drink aperitivo e uma garrafa de vinho oferecida pelo proprietário. Ele nos forneceu mapa, deu explicações e boas dicas de restaurantes e lugares para visitar.

Com um calor de quase 35 º graus e sensação  térmica de muito mais, nossos dias começavam bem cedo com alguma atração  cultural, (tempos, museus ou ruínas) e ai, quando o sol começava a esquentar, paravamos em um bom restaurante, normalmente perto de algum porto,  onde degustavamos pratos leves de verão  como a saborosa salada grega, frutos do mar  ou um tarama (patê de ovas de peixe).

Faziamos “ la siesta” e seguiamos para alguma praia. Uma das minhas preferidas foi a de Matala, com uma rocha a direita e grutas que terminam no mar. Ficavamos lá disfrutando da paissagem até o entardecer.

À noite, sempre acabavamos em um bom restaurante beirando alguma praia ou no centro histórico de Irakleio. Desde a nossa primeira refeição , as ilhas gregas nos surpriendeu com a sua “ art de table” de tirar o chapéu e seu vinho branco muito agradável.

Visitamos em Chania (vilarejo de Creta), o mercado central do seculo XIX , que propõe todos os dias grande diversidade de frutas, legumes locais, produtos típicos como azeite, vinho e lembranças da ilha de Creta.

E foi neste mercado que tivemos uma aula de azeite de oliva grego: Suas variações, graus e combinações com saladas e comidas.

Muito simpática a senhora grega, que nos atendeu,  perguntou de onde eramos e respondemos que eramos do Brasil e que viviamos em Paris, ela ficou espantada pois disse que são  raros os Brasileiros que passavam por ali e elogou muito nosso país dizendo que era um país com lindas praias e um povo encantador. Respondemos que a Grécia também era fantástica e ela nos saiu com a seguinte frase que ficou gravada na memória:

“Brazil is good, Greece is good, Paris is good, everywhere is wonderful, when we are en vacation”. E a verdade é que eu acho que ela razão !

Saimos de Chania e ziguezaguiamos entre as montanhas de Gournia e Siteia pela estrada nacional em direção  ao leste da ilha de Creta e encontramos uma das mais espetaculates paisagens de Creta. Nesta direção, a passagem se transforma em colinas aridas com vinhedos. Me deparrei com a grande quantidade de oliveiras e de parreiras e percebi o quanto a produção  de azeite de oliva e a de uva têm um papel importante para a econômia de cidade.

Desde a antiguidade, até nossos dias, a Grécia produz vinhos perpetuando sua historia milenar em todo o país. São 360 fabricas de vinho espalhadas em todo seu território e quase 200.000 familias que juntas possuem um rendimento de uns 0,5 bilhão de litros deste precioso liquido. Grande parte desta produção  é de boa qualidade  e é exportada ao estrangero. Podemos dizer que existe, sengundo os padrões e reguramentos mundiais,  cerca de umas 20 regiões gregas produtoras de vinho com apelação  de origem qualificada superior. A variedade de vinhos gregos é muito extensa, graças aos diferentes tipos de relevo que varia de região  para região .

Deixamos Creta se seguimos para Naxos, Mykonos e para finalizar Santorini.

Naxos

Mykonos

Santorine

Ah! Santorine… que paraíso!!!!

Santorine é um lugar especial neste mundo e de difícil descrição.

Existe 2 opçoes para se chegar na ilha: avião ou barco, optamos pela segunda. Quando o barco vai se aproximando, vemos no  horizonte a ilha vulcanica (um gigantesco rochedo), a cidade toda branca no topo e o mar de aguas azuis cristalinas  rodeando a ilha. Um espetáculo de cortar o folego!

Chegamos pelo porto novo e pegamos um onibus que no levou ao centro de Thera (Thira ou Fira), capital agitada da ilha. O trecho durou uns 15 minutos e durante o trajeto pudemos observar camponeses colhendo uvas no meio do vinhedo.

Como estava muito quente, deixamos as malas no hotel, alugamos uma moto triciclo e fomos em direção  ao norte da ilha em busca de praia, passamos pela rota do vinho e chegamos em OIA, pequeno vilarejo branco (onde encontramos o verdadeiro cartão  postal da ilha de Santorini. (Neste vilarejo também branco, é que esta localizada a famosa igreja com a cupula azul). Encrustrado em uma falésia, encontramos ruas de pedestres, com atelies de pintura e arte, restaurantes, hoteis, bares e muitas lojinhas com produtos tipicos de artesanato, cerâmica, joias entre outros. Passeando nestas ruelas em direção  ao norte avistamos um mitante e uma escadaria que nos leva ao porto de pescadores incrstrado no pé da falésia.

Desça até este porto (de carro, moto ou a pé pela escadaria) e você nao ira se arrepender, este não  é um porto qualquer, na verdade segundo os moradores, este é um dos melhores pontos para se assistir o por do sol da ilha. E é evidente que testamos e aprovamos a dica dos nativos deste lugar. Para complementar este passeio, a minha dica, é passar pelo o porto e seguir por um caminho que esta encostado nas falésias no final dele, você encontrara  uma espécie de lago onde um mergulho nas aguas transparentes sera maravilhoso.

Depois, é só fazer o caminho inverso e escolher um dos restaurantes do porto, disfrutar da pesca do dia jantando  e vendo o por do sol acompanhado de um bom vinho, é claro!

file:///Users/robertacury/Desktop/eruption_volcanique_en_Islande.jpg


Para os amantes do vinho:

Referência a alguns dos vinhos gregos mais importantes que se produzem na Grécia:

  • Tarcia macedonia, foi uma região  das mais famosas da Grécia na antiguidade pela produção  do famoso vinho de Thasos, hoje, ela produz variedades muito limitadas e inferiores à outras regiões.
  • Macedonia, produz  um dos vinhos mais valiosos da Grécia.
  • Nausa: é um vinho tinto de coloração  profunda, generoso, proveniente da uva da variedade Xinomavro das ladeiras do monte Vermio.
  • Amindeo: variedade xonomavro, tinto, suave e clarante.
  • Gumenisa: Variedade de xinomavro e negosca do monte Paico, vinho tinto suave e aromático.
  • Laderas de meliton: vinho tinto e branco da mistura das variedades francesas cabernet sovignon e cabernet franc, assim como a grega Limnia.
  • Aguioritico local: tinto e branco que se producem em monastérios do monte atos.
  • Outros vinhos e bebidas para se provar: Retsine de pin, Ouzo (tipo de anis branco) e vinhos de sobremesa de  Santorine.

Além da rota do vinho que percorre quase toda a ilha, existe um museu dedicado ao vinho que merece uma visita (http://www.santorini.gr-santorini.com/museums/winemuseum.htm, http://travel.mapsofworld.com/greece/tourist-attractions-in-santorini/wine-museum.html)

Na rota do vinho saindo de Tira indo em direção à Perissa. Nos deparamos, após 4 kilometros, com um cruzamento, e avistamos a vinicola Santo Wines. Na entrada um grande estacionamento é feito para os visitantes,  à direita uma seleção  os produtos da casa estão  expostos em uma loja e ao fundo um bar com vista ao mar Egeo, ideal para uma degustação  do famoso Vinho Santo (vinho de sobremesa) acompanhado de uma porção  de queijos tipicos da região.

A vinicola santowine é uma das paradas obrigatórias para fazer uma visita as suas caves e para assistir um por do sol inesquecivel( http://www.santowines.gr).

Sites à consultar: http://www.cyclades-orbit.com/santorini/wine-of-santorini.asp http://www.greekwinemakers.com/czone/regions/santo.shtml

6 thoughts on “Ilhas gregas – o must do verão

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s