Paris – Salão dos Vinhos dos Produtores Independentes

O Vinho da Semana – 3 vinhos

O programa deste fim de semana em Paris foi a visita ao “Salon des Vins des Vignerons Indépendants” (Salão dos Vinhos dos Produtores Independentes).

Um evento que reúne toda a diversidade do mundo do vinho francês e oferece a oportunidade única de degustar e conhecer mais sobre esses pequenos produtores que fazem a riqueza da viticultura do país.

Quem degusta vinho na França se depara frequentemente com o logo abaixo.

 

Ele agrupa pequenos produtores que assinam um estatuto que estabelece os princípios dos Vignerons Indépendants: respeito do terroir, controle sobre todas as etapas do processo de produção (do cultivo até o engarrafamento na propriedade), comercialização própria dos produtos e recepção dos amantes do vinho na propriedade.

Mais de 1.000 produtores oferecem seus vinhos e dividem com o público um pouco da sua cultura e sabedoria. É gente que vive o terroir, acompanha o seu microclima e explica com paixão os detalhes da safra e do vinho.

Gosto de chegar logo na abertura, quando os stands estãos mais vazios (ontem foi um domingo lindíssimo de sol e mais propicio a atividades outdoor e este fato me ajudou bastante), e posso conversar com os produtores.

Conversamos sobre o solo calcário de um produtor da Alsace que faz um vinho mais mineral, do sol forte e constante dos rosés da Provence e sobre as diferenças entre o St Véran e o Puilly Fuissé na Borgonha.

Os vinhos em geral oferecem uma excelente relação custo benefício (pois se compra diretamente do produtor) e os preços são módicos, começando em 5 € para as AOC menos conhecidas, até aproximadamente 30 € para os nomes mais famosos.

Como todo ano, aproveitei para refazer meu estoque de Rosé para o verão. Sempre compro algumas caixas do Rosée d’Aurore do Domaine de la Fouquette.

Com aromas de frutas exóticas (para os europeus), como o maracujá, é bem equilibrado e perfeito para um dia de calor. A 6,50 € a garrafa é um tentação.

Também compro Riesling pois a Alsace é sempre bem representada nesse Salão. Depois de Moltes, conheci um novo produtor esse ano que me parece um achado. Marcel Humbrecht faz um Riesling mineral, equilibrado e suave. Ideal para acompanhar frutos do mar.

 

Escrevendo esse artigo, já me arrependo de não ter levado também seu pinot gris «Sélection» e seu Grand Cru que estavam excelentes. Paguei também 6,50 € no Riesling (mera coincidência…) e o Grandu Cru estava a menos de 15 €. Creio que passarei mais um pedido…

Termino com um produtor de Borgonha, o Domaine de la Feuillarde, conhecido pelo seus Pouilly Fuissé, uma AOC famosa pela qualidade de seus brancos.

 

 

Infelizmente o Pouilly estava disponível somente para degustação pois estava esgotado para entrega imediata (os produtores têm limites rígidos de quantidade para os Salões).  Para falar a verdade, há melhores (porém mais caros) na região. No entanto, acabei degustando um St Véran (AOC vizinha de Pouilly) que apresenta todas as qualidades do seu irmão, e resolvi arrematar uma caixa (8,90 € a garrafa). Quase não se sente o amadeirado do barril de carvalho, é bem floral (como os Chardonnay) e mineral (como os Borgonha brancos). O Hachette e a Revue de Vin de France ( deu nota entre 15,5 e 17,5) falam muito bem e eu concordo.

O salão:

Quanto custa? 6 € ( entrada do salão com direito a uma taça de degustação)

Onde? Paris 17ème – Espace Champerret

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s